PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Ações ambientais contribuem com a fauna e flora da região

Vamos Ler

23 de julho de 2021 14:35

Dhiego Tchmolo


Relacionadas

Aula em Castro sobre 'Dia da Árvore' explora as araucárias

Alunos de Irati coletam resíduos em ação de combate à dengue

Combate às drogas é tema de conscientização em Jaguariaíva

Roda de debate em Fernandes Pinheiro aborda a pobreza
'Dia da Árvore' tem mudas para plantio de alunos em Ipiranga
Trabalho em Jaguariaíva alerta para relevância da saúde bucal
Alunos de Jaguariaíva estudam e debatem sobre queimadas
PUBLICIDADE

Parceria do Vamos Ler - Geração Digital e ENGIE Brasil Energia destaca algumas iniciativas socioambientais do Sistema de Transmissão Gralha Azul (STGA) nos Campos Gerais

A parceria entre o Vamos Ler – Geração Digital e o Sistema de Transmissão Gralha Azul (STGA) da ENGIE Brasil Energia busca consolidar práticas de educação ambiental junto aos milhares de alunos participantes do projeto do Grupo aRede. Neste contexto, é preciso mostrar como os cuidados com o meio ambiente se dão na prática. O STGA traz uma série de ações que vão de encontro a essa importante temática na formação das novas gerações.

“Entre os 17 programas socioambientais que acompanham as obras de implantação do Gralha Azul há iniciativas dedicadas à conservação de espécies nativas da flora, tais como o resgate de sementes, transplante de bromélias e orquídeas, reposição florestal e recuperação de áreas degradadas”, destaca Paulo Muller, diretor de implantação do STGA, sobre algumas das várias propostas ambientais do Sistema.

Os números ajudam a evidenciar todo esse contexto: mais de 70% dos resíduos gerados durante as obras são encaminhados para reaproveitamento e reciclagem. A nossa Mata Atlântica também é amplamente beneficiada: nada menos que 2,6 milhões de sementes, que pertencem a 59 espécies nativas deste bioma, foram resgatadas.

Conhecido como resgate de germoplasma, esse projeto ambiental dedicado à coleta de sementes da vegetação nativa garante a variabilidade genética das espécies que são fundamentais ao ecossistema local, conforme apontam os dados do STGA. Tudo feito através de uma equipe especializada, com biólogos e engenheiros florestais, com procedimentos minuciosos.

A fauna é outro ‘braço da vida’ que se preserva através das ações do STGA na região: cerca de 14 mil animais, entre aves, anfíbios, insetos, mamíferos e reptéis são monitorados; outros dois mil animais foram avistados, resgatados, afugentados e/ou isolados, com uma gama de pertencimento a 400 espécies.

Para fechar os números, são 20 mil inspeções ambientais para fiscalizar as atividades de implantação do STGA. Assim, com dezenas de profissionais atuando exclusivamente na área socioambiental, o Sistema de Transmissão Gralha Azul da ENGIE Brasil Energia mostra os caminhos para uma educação – e práticas – ambientais efetivas.

Área de compensação ambiental equivale a 900 estádios de futebol

Uma das grandes propostas do STGA é a compensação ambiental que vai além do que a lei exige – com o compromisso de realizar o dobro de recomposição florestal.

O melhor exemplo se dá na região dos Campos Gerais: foram adquiridos 750 hectares (equivalente ao tamanho de 900 estádios de futebol, como o Maracanã) no município de Castro, destinados à recuperação e preservação ambiental, com cultivo de espécies nativas como Araucária, Imbuia, Pau-Marfim, Cedro Rosa e Canela, através de mais de 130 mil mudas.

A área, vale destacar, equivale a uma compensação sete vezes maior que o perímetro de intervenção do projeto.

PUBLICIDADE

Recomendados