Oferta aRedeShopping
Rangel convida população para 'jejum' neste sábado

Ponta Grossa

04 de abril de 2020 07:21

Afonso Verner


Relacionadas

Ex-vereador de PG perde o irmão em acidente

Rodonorte projeta obras e milhares de empregos

Lei poderá travar desenvolvimento do aeroporto de PG

Zampieri defende candidatura de direita e equipe técnica
PG possui 151 Pontos de Entrega Voluntária (PEVs)
Top Brownies se destaca em Ponta Grossa e região
PG passa dos 100 casos positivos do coronavírus
PUBLICIDADE

Ação é realizada em várias cidades brasileiras após um pedido do presidente Jair Bolsonaro

O prefeito Marcelo Rangel (PSDB), ao lado do vereador Vinícius Camargo e do pastor Fabio, convida os ponta-grossenses para um jejum neste sábado (4). A ação religiosa acontece após um pedido do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) por um jejum para "livrar o Brasil do Coronavírus". 

"Quero fazer um convite ou uma convocação cristã. Nossa cidade toda fará um jejum, todas as religiões que oram para Jesus e tem responsabilidade com a fé farão um jejum para que possamos passar por esse momento difícil da realidade", disse Rangel. "Quero convidar você que está em casa agoniado, para se desfazer toda a agonia e depressão somente Deus", afirmou o prefeito. 

Histórico e pedido

A ação acontece depois que o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), afirmou, nesta quinta-feira (2/4), que gostaria de um dia de jejum religioso contra o coronavírus. A fala foi feita durante entrevista para a rádio Jovem Pan.

“Sou católico e minha esposa, evangélica. É um pedido dessas pessoas. Estou pedindo um dia de jejum para quem tem fé. Então, a gente vai, brevemente, com os pastores, padres e religiosos anunciar. Pedir um dia de jejum para todo o povo brasileiro, em nome, obviamente, de que o Brasil fique livre desse mal o mais rápido possível”, disse.  

Ao final da entrevista, Bolsonaro sugeriu  que a população deve manter a calma: "Paz, calma e tranquilidade para quem tem fé. Tivemos outras gripes no passado. Vencemos, sem esse alarmismo todo”, afirmou o presidente. Por enquanto, os convites em Ponta Grossa partem de lideranças evangélicas, sem envolvimento de católicos e de outras religiões de matriz africana ou espírita.

PUBLICIDADE

Recomendados