PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Práticas levam alunos a 'tour' pela história no Sagrada Família

Vamos Ler

22 de julho de 2021 16:50

Dhiego Tchmolo


Relacionadas

Aula em Castro sobre 'Dia da Árvore' explora as araucárias

Alunos de Irati coletam resíduos em ação de combate à dengue

Combate às drogas é tema de conscientização em Jaguariaíva

Roda de debate em Fernandes Pinheiro aborda a pobreza
'Dia da Árvore' tem mudas para plantio de alunos em Ipiranga
Trabalho em Jaguariaíva alerta para relevância da saúde bucal
Alunos de Jaguariaíva estudam e debatem sobre queimadas
PUBLICIDADE

Escrita antiga e mumificação foram temas trabalhados junto ao 6º ano do Colégio de Ponta Grossa

O 6º ano do Colégio Sagrada Família embarcou, neste segundo semestre, em uma viagem pela história. O trabalho e estudo sobre práticas de civilizações antigas, como mesopotâmicos e egípcios, foi coordenado conjuntamente pelas professoras Carina Silva, Grazyelli Costa e Roscilea Silgre.

“Os alunos experimentaram escrever com o alfabeto cuneiforme dos sumérios em placas de argila e, também, usando os hieróglifos egípcios em papel similar ao papiro, utilizado na Antiguidade. Ainda, realizaram a mumificação de uma maçã e, após três semanas, conferiram o resultado do experimento”, aponta Carina.

Segundo a docente, com a experiência de tais práticas, os alunos perceberam as dificuldades e diferenças em relação ao que é praticado atualmente. Ainda, notaram a importância das fontes históricas para construir o conhecimento na área. “A fragilidade e o valor do patrimônio material também foram problematizados. Dessa forma, evidenciamos a necessidade de políticas de preservação e valorização das fontes históricas”, complementa a educadora.

“Proporcionar aulas práticas, além de tornar a aula mais dinâmica e divertida, também é uma forma de colocar a História mais próxima do cotidiano dos alunos. Mesmo com o ensino híbrido, foi possível realizar a atividade de forma satisfatória e com grande interesse por parte dos alunos”, conclui Carina.

A aluna Rafaela Krolow Bandeira também deu seu destaque sobre o tema. Segundo ela, houve a percepção de que a escrita, há 4 mil anos, não era para todos. “Os escribas eram muito valorizados pelo seu trabalho – somente eles e pessoas nobres tinham oportunidade de ler e escrever – já que teriam que ler e registrar leis, por exemplo”, aponta a estudante.

“A experiência que tivemos na escola ajudou a entender como eles faziam a escrita hieroglífica e cuneiforme. Percebi dificuldades em fazer, há muitos detalhes. E, para realizar a escrita cuneiforme na argila, com o palito de churrasco (que foi a ferramenta que usei), requer bastante paciência”, pontua a estudante.

O destaque de Nathan Pinheiro Ferreira vai em sintonia com a colega: uma prazerosa atividade. “Achei muito interessante, aprendi melhor sobre as escritas cuneiforme e hieroglífica. Percebi a dificuldade para realizar a escrita naquela época, pois necessitava de grande aprendizado. Gostei muito da atividade prática, nos divertimos muito”, cita o aluno.

Acesse o blog escolar do Colégio Sagrada Família clicando aqui.

PUBLICIDADE

Recomendados