PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Audiência pode pôr fim à greve no transporte de PG

Ponta Grossa

12 de maio de 2021 08:10

Rodolpho Bowens


Relacionadas

Pediatra Elaine Martins recebe título de cidadã honorária de PG

Plano de Saúde São Camilo promove ação com o Hemepar

UPA emite carta pública e reafirma situação crítica em PG

PG confirma mais 9 mortes decorrentes do coronavírus
Secretaria de PG admite que aulas podem parar
PG decreta luto oficial pelas 1.005 mortes da covid
Mulher de empresário também morre da covid em PG
100% dos ônibus estão parados, em Ponta Grossa. Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Conversa acontecerá nesta quarta-feira (12), a partir das 10h30, e terá a presença da Viação Campos Gerais (VCG), Sintropas e Prefeitura Municipal de Ponta Grossa

A cidade de Ponta Grossa pode ter uma definição e o retorno do transporte público coletivo nesta quarta-feira (12). A partir das 10h30, acontecerá uma audiência virtual de conciliação entre a Viação Campos Gerais (VCG), concessionária responsável pelo serviço no município, o Sintropas, sindicato que defende a classe dos trabalhadores da empresa, e a Prefeitura Municipal de Ponta Grossa (PMPG). A conversa é organizada pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT), por conta do dissídio coletivo ajuizado pela entidade sindical contra a VCG. Os colaboradores da empresa estão há dois meses sem receber seus salários. O bate-papo entre todos os envolvidos visa a normalização – ou parte – do transporte público coletivo de Ponta Grossa.

O dissidio coletivo foi ajuizado em 7 de abril, por conta do não pagamento de salários dos funcionários da VCG. De lá para cá, novas audiências de conciliação aconteceram, mas sempre não encontrando uma solução para o problema. Quem mediou as últimas conversas foi o desembargador Célio Horst Waldraff, do Tribunal Regional do Trabalho da 9ª região. Ele, inclusive, mandou a VCG funcionar com 50% dos ônibus – até a última sexta-feira (7) era o que estava acontecendo.

Apesar disso, a crise no transporte público de Ponta Grossa estourou (ainda mais) com a paralisação total dos ônibus, na última sexta-feira (7). O diretor de relações institucionais da concessionária, Rodrigo Venske, conversou com o Portal aRede (clique aqui para assistir a entrevista) para falar sobre a crise financeira que a empresa vive. Ele também disse que a greve agrava ainda mais a situação do transporte, e que os valores referentes aos salários do mês de março já estavam à disposição da Justiça – a empresa teve bens de R$ 2,2 mi bloqueados.

Pagamento à VCG

A audiência de amanhã (12) também pode trazer um possível acerto para pagamento da PMPG à VCG, pelos 18 dias que a empresa teve o serviço parado na cidade, em razão de decretos municipais. Conforme os estudos da Autarquia Municipal de Trânsito e Transporte (AMTT) [acesse aqui], seriam utilizados R$ 2,6 milhões de dinheiro público para pagar uma empresa privada. A informação abre precedente para que outras empresas do comércio, por exemplo, solicitem o pagamento pelos dias que precisaram ficar paradas por conta da pandemia da covid-19. A situação gerou críticas negativas à Prefeitura, via redes sociais.

Vereadores da Câmara Municipal de Ponta Grossa (CMPG) também solicitaram medidas imediatas para resolver o problema do transporte público coletivo da cidade. Alguns até pediram o rompimento de contrato com a Viação Campos Gerais, já que a empresa não está prestando o serviço na cidade ponta-grossense (saiba mais informações clicando aqui).

100% de paralisação

Todos os ônibus estão parados no município desde 7 de maio. A paralisação é organizada pelo Sintropas, em razão do não pagamento de salários atrasados – o mês de março e abril estão em atraso. Segundo o sindicato, a frota só retornará às ruas da cidade após o acerto de todos os salários. A VCG buscou um acordo com a entidade sindical, para o retorno de 50% da frota, mas não houve solução entre as partes. Com toda a crise instalada no serviço público, os empregados seguem sendo prejudicados, bem como os usuários do transporte coletivo do município ponta-grossense.

PUBLICIDADE

Recomendados