Oferta aRedeShopping
Preço da gasolina cai 17% em PG e chega a R$ 3,50

Ponta Grossa

09 de abril de 2020 19:59

Fernando Rogala


Relacionadas

Ex-vereador de PG perde o irmão em acidente

Rodonorte projeta obras e milhares de empregos

Lei poderá travar desenvolvimento do aeroporto de PG

Zampieri defende candidatura de direita e equipe técnica
PG possui 151 Pontos de Entrega Voluntária (PEVs)
Top Brownies se destaca em Ponta Grossa e região
PG passa dos 100 casos positivos do coronavírus
Foto: Cristiano Barbosa
PUBLICIDADE

Redução nos preços foi observada durante o mês de março e início de abril. A maior queda neste mesmo período foi do etanol, na casa dos 21%

Os preços dos combustíveis seguem em queda em Ponta Grossa e em todo o país. Depois de novas reduções anunciadas, nas últimas semanas, nos preços da gasolina e do diesel nas refinarias, é possível encontrar a gasolina a R$ 3,50 em alguns postos em Ponta Grossa. No período de um mês e alguns dias, a redução superou a casa de 17%, afinal, de acordo com o site da Agência Nacional do Petróleo (ANP) a média de preços desse combustível em fevereiro era de R$ 4,22. Desde o início de março, semana a semana o valor foi caindo alguns centavos, até chegar neste valor, o mais baixo dos últimos anos. No dia 24 de março, por exemplo, o preço do litro da gasolina girava em torno de R$ 3,85.

Junto com a queda da gasolina, também teve uma redução nos preços diesel e do etanol. No caso do diesel, o litro pode ser encontrado na faixa de R$ 2,85 em Ponta Grossa, conforme indica o aplicativo ‘Menor Preço’, Ao final de fevereiro, o preço médio era de R$ 3,39 o litro, conforme a pesquisa da ANP, ou seja, uma baixa superior a 15%. Já no caso do etanol a redução foi a maior entre os três combustíveis líquidos, superior a 21%. A média do preço do litro em fevereiro era de 3,18, enquanto que agora é possível encontrar esse combustível na casa dos R$ 2,50, o litro.

As reduções, porém, não estão relacionadas exatamente ao coronavírus, que fez com que caísse a venda dos combustíveis no país nas últimas semanas. No caso desses combustíveis fósseis, a justificativa é a retração no preço do petróleo no mercado mundial, hoje na casa dos US$ 33 o barril – metade da cotação em relação ao começo do ano. “A redução começou com a crise da OPEP, entre a Arábia Saudita e Rússia. E como a Petrobras faz o preço do combustível atrelado ao preço internacional, começou a queda brusca nos preços”, explica o empresário Geraldo Fanchin, sócio-proprietário do Posto Rio Branco, em Ponta Grossa. E os valores só não são ainda menores devido ao dólar que está em alta, acima dos R$ 5.


Queda no etanol é reflexo da baixa no preço da gasolina

Já o etanol teve uma baixa como reflexo da queda da gasolina, pois a maior parte dos carros vendidos são bicombustíveis – e se o etanol continuasse com preço elevado, a maioria preferiria abastecer com gasolina. “Com a queda agressiva no preço da gasolina, o usineiro teve que baixar o limite do que poderia ser seu custo, porque com o preço médio que estava o etanol, não teria volume de vendas”, completa Geraldo. Outro fato, segundo ele, é que foi iniciada a colheita da cana, aumentando a oferta de produto no mercado. De acordo com o empresário, a redução nas vendas dos combustíveis na primeira semana do isolamento social chegou a 70% em seu posto.

PUBLICIDADE

Recomendados