“Devemos combater o vírus, não os empregos”, diz Pauliki

Ponta Grossa

07 de abril de 2020 17:01

Afonso Verner


Relacionadas

Homem é preso em PG vendendo gasolina ilegalmente

Educação de PG entrega 300 toneladas de alimentos

“Ponta-grossenses estão dando lição para o mundo”, diz Rangel

Diocese normatiza volta das missas presenciais em PG
Homem é morto com quatro tiros na Vila Santo Antônio
Polícia prende homem que abusava da enteada
Carro capota após batida em cruzamento na Nova Rússia
Foto: Arquivo JM
PUBLICIDADE

Ex-deputado e prefeiturável usou as redes sociais para tratar da retomada do comércio na cidade

Marcio Pauliki, ex-deputado estadual e prefeiturável, voltou a usar as redes sociais para tratar da reabertura do comércio em Ponta Grossa. Nesta terça-feira (7), Pauliki voltou a usar as redes sociais, desta vez o Facebook, para discutir a situação. O empresário qualificou como “equivocado” o rodízio imposto pela Prefeitura Municipal de Ponta Grossa (PMPG) na reabertura do comércio. 

“Fechar não, prevenção sim”, diz o post de Pauliki. “Hipermercados vendem roupas, eletro,cosméticos, ovos de páscoa e até pneus.. produtos que pequenas e médias empresas também vendem, mas [essas pequenas empresas] estão fechadas ou podendo trabalhar apenas duas vezes por semana em um sistema de rodízio equivocado que só gera aglomeração e mais pessoas na rua”, disse Pauliki.

“Após 15 dias de quarentena que passamos com muito esforço, as empresas devem e precisam começar a trabalhar, mas com prevenção e fiscalização pública orientando a restrição do número de clientes em cada estabelecimento, clientes e funcionários com máscaras e espaçamento correto”, escreveu o empresário nas redes sociais. 

“Devemos combater o vírus, mas não os empregos. Equilíbrio e bom senso não faz mal a ninguém”, afirmou Pauliki. O ex-deputado estadual afirmou que a partir do próximo dia 13 o Governo Federal iria aconselhar três tipos de isolamento, cada um de acordo com as características da região.

“O Distanciamento Social Seletivo será adotado apenas onde grupos de risco deverão ficar em casa será sugerido para cidades onde a quantidade de leitos e UTI’s ocupados não passem de 50% da capacidade instalada para o tratamento exclusivo do Covid-19”, afirmou.

“E isto é corretíssimo pois cidades do interior e com poucos casos não podem sofrer as mesmas sanções econômicas das grandes metrópoles onde a conurbação é muito maior”, defendeu Pauliki.

PUBLICIDADE

Recomendados

IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização