Hospital Municipal recebe 12 novas enfermarias

Ponta Grossa

21 de fevereiro de 2020 09:00

Da Redação


Relacionadas

Voluntários da UEPG criam novo modelo de protetor facial

Exportações de PG se aproximam de R$ 1 bi em 2020

'Superlua Rosa' deslumbra os ponta-grossenses

Aliel quer isenção de pedágio para remédios, alimentos e combustíveis
Aeroporto Sant’Ana e Ambev doam álcool para instituições
Rangel pode tornar uso de máscaras obrigatório em PG
Paróquias usam da criatividade para oferecer confissões
PUBLICIDADE

Resultado foi atingido por intermédio do trabalho da Associação Pró Pronto Socorro (APRÓS)

 

Ao longo dessa semana o Hospital Municipal Amadeu Puppi (Pronto Socorro) recebeu 12 enfermarias remodeladas. Os espaços ficavam na antiga Ala Amarela, que estava interditada por problemas estruturais. A execução do projeto é resultado do trabalho da Associação Pró Pronto Socorro (APRÓS), uma instituição sem fins lucrativos, formada por voluntários representantes da sociedade civil que se dedicam a cooperar com a administração do Hospital.

 

Cada enfermaria tem na faixa de dois ou três leitos, que agora recebem os pacientes em um ambiente moderno. As salas são equipadas com TV, banheiro, ar condicionado e todo o suporte que dá mais conforto e humanização à pessoa que precisa dos serviços do Hospital Municipal. 

 

No projeto da APRÓS, o objetivo era reformar 17 enfermarias, e com a ajuda de empresários e clubes da cidade que compraram a mobília, cinco delas já haviam sido entregues nos meses anteriores. Mas ainda faltavam 12, e como não apareceram mais interessados em patrocinar as reformas através do ‘Adote uma enfermaria’, a associação decidiu que para não prolongar o tempo de entrega, iria custear o mobiliário das demais enfermarias.

 

A realização, entretanto, só foi possível através de parcerias com a Prefeitura Municipal que permitiu o trabalho da instituição, dando suporte técnico e de engenharia, e com os Ministérios Público Federal e Público do Trabalho, e a Justiça Federal que contemplaram os projetos. A ajuda dos Rotarys da cidade (Mulheres Sabará, Alagados e Vila Velha) e da própria comunidade e funcionários do Hospital que sempre vestem a camisa comprando rifas, e prestigiando os bazares e almoços em prol da causa, também foi fundamental para o resultado.

PUBLICIDADE

Recomendados

IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização