UEPG terá hub de inovação em antigo laboratório

Ponta Grossa

13 de janeiro de 2020 16:10

Da Redação


Relacionadas

Cai em 12,9% a emissão de seguro-desemprego em PG

Rafael Freitas destaca benefícios da fisioterapia

Indústria deverá puxar a retomada da economia de PG

‘Cultura’ propõe uso compartilhado da Estação Paraná
Aliel tenta evitar fechamento do Colégio Sesi em PG
Rudolf quer retomada de ‘calçamento’ nos bairros de PG
PG ultrapassa dois mil casos positivos da covid-19
O projeto conta com salas de incubação, com suporte no desenvolvimento de novas empresas, espaços de convivência e coworking para empresas juniores. Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

O projeto conta com salas de incubação, com suporte no desenvolvimento de novas empresas, espaços de convivência e coworking para empresas juniores.

A Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) sediará em 2020 um hub de inovação. O espaço projetado para integrar acadêmicos, empresas e instituições será no antigo Laboratório de Produção de Medicamentos (Lapmed).

De acordo com o professor Miguel Arcanjo de Freitas Júnior, diretor da Agência de Inovação e Propriedade Intelectual (AGIPI), a ideia é funcionar como um ecossistema. O objetivo é que as empresas venham para dentro da universidade e apresentem os seus problemas, visando soluções inovadoras”, explica.

O projeto conta com salas de incubação, com suporte no desenvolvimento de novas empresas, espaços de convivência e coworking para empresas juniores. “A UEPG é responsável por todo o projeto e aqui temos a expertise de professores, alunos de graduação e pós-graduação, como mestrandos, doutorandos e pós-doutorandos, que irão fazer parte da incubadora”, conta Miguel Arcanjo.

Segundo ele, a reforma do prédio é realizada por uma empresa parceira e ainda no início do ano, será publicado o edital para que os interessados se inscreverem. “Estamos montando um time de especialistas em diversas áreas do conhecimento, especialmente do agronegócio, da tecnologia da informação e das engenharias. Além disso, queremos levar cultura e arte para o hub, tendo em vista que este é um lugar de criação, com a presença do curso de artes”.

“Os selecionados terão um espaço para desenvolverem os seus projetos a partir de um sistema de cooperação que integrará os nossos acadêmico, as empresas e o mercado”, aponta o professor. O hub também contará com parceiros como a Prefeitura e o Sistema S.

Com informações da Assessoria de Imprensa

PUBLICIDADE

Recomendados