Oferta aRedeShopping
Violinista ganha a vida tocando nos semáforos de PG

Ponta Grossa

17 de outubro de 2019 16:37

Afonso Verner


Relacionadas

‘Made in PG’ irá valorizar produtos fabricados na cidade

‘Drive-thru solidário’ arrecada comida para animais de rua

Oficinas terá abastecimento de água interrompido nesta quinta

Tetra Pak doa R$ 2 milhões para dois hospitais
PG tem 62,5% dos casos recuperados do coronavírus
Decreto amplia horário de abertura do comércio em PG
Bombeiros evitam morte em viaduto de PG. Veja imagens
PUBLICIDADE

Higor Santana tem 20 anos e é estudante de música da UEPG. Ele toca nos semáforos para conseguir se manter financeiramente

Em boa parte do dia o trânsito de Ponta Grossa é marcado por uma sintonia peculiar: o som de carros se mistura com buzinas e ainda com o som alto que emana do sistema de sons de alguns veículos. Essa ‘sinfonia’ pouco harmoniosa é quebrada pela música de Higor Santana, violinista e estudante do Curso de Música da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). 

Higor se apresenta nos semáforos da cidade como forma de ‘ganhar’ a vida e de sustentar. Nesta semana, após ser personagem de uma reportagem de TV, Higor ficou famoso “do dia para noite”. No entanto, a prática de tocar no semáforo é antiga na vida do músico. “Eu fiz [cursei] Conservatório [Maestro Paulino] e sempre que eu e meus amigos tínhamos vontade de comer um doce e não tínhamos dinheiro, a gente ia tocar no semáforo para ganhar umas moedas e comprar os doces”, contou Higor.

Atualmente o jovem cursa o primeiro ano do Curso de Música da UEPG e toca no semáforo para “comer e pagar as contas”. “As vezes estou sem dinheiro para pagar o aluguel, a data de vencimento se aproxima e eu vou para o semáforo tocar. O mesmo acontece quando está na hora do almoço, tem dias que não tenho dinheiro e aí vou tocar no semáforo até ter umas moedas para almoçar”, contou Higor.

O músico ressalta que, muitas vezes, alguns motoristas não observam a apresentação e nem mesmo abaixam o som do carro. “Ninguém é obrigado a dar dinheiro, eu sempre toco, me apresento, dou bom dia e se quiser a pessoa colabora. Nem todo mundo quer”, contou o rapaz. 

Contato com a música

Durante a infância, Higor passou pelo Instituto João XXIII, onde teve o primeiro contato com a música. “Lá, nas quartas-feiras, tinha uma banda que ensaiva. Foi lá que aprendi a tocar e me envolver com a música. Quando fui adotado, meus tios me colocaram no Conservatório onde eu aprendi a tocar violino e outros instrumentos”, disse Higor. O rapaz não chegou a concluir o curso no Conservatório Maestro Paulino.

Forma de ajudar

Atualmente Higor usa a música como única forma de sustento. Além da atuação nos semáforos, o músico também atua na noite, em bares, além de tocar em sessões de musicoterapia e dar aulas. Quem quiser ajudá-lo pode entrar em contato a partir do Facebook de Higor ou do telefone (42) 9 9927 1672

PUBLICIDADE

Recomendados