Vereador marca data para se apresentar à Polícia

Campos Gerais

28 de janeiro de 2020 14:04

Afonso Verner


Relacionadas

Homem com filho no colo leva quatro tiros no Paraná

Ratinho entrega condomínio em Jaguariaíva

PRF atende acidente com capotamento em Tibagi

Diocese de Ponta Grossa ganha relíquias de São João Paulo II
Polícia Civil encontra foragidos da Justiça em Piraí do Sul
Palmeira registra terceiro óbito por Covid-19
Homem leva facada no peito e fica em estado grave
Conhecido como Kiko, vereador foi o mais votado na cidade em 2016 Foto: Imagem: Divulgação
PUBLICIDADE

Defesa do parlamentar confirmou que ele deve se apresentar na Delegacia da Polícia Civil de Imbituva

Apontado como principal suspeito da morte do empresário Everaldo Manfron, o vereador Luisir Lobacz, conhecido como Kiko, deve se apresentar à Polícia Civil na próxima sexta-feira (31), seis dias após o crime. O parlamentar é apontado por familiares como o responsável pelo esfaqueamento do empresário Everaldo Manfron, 47 anos de idade, no último sábado (25) em Ivaí, cidade na região dos Campos Gerais.  

Kiko deverá se apresentar à autoridade policial da delegacia de Imbituva, comandada pelo delegado Luiz Gustavo Timossi. Segundo o advogado de Kiko, Fernando Madureira, a apresentação deverá acontecer a partir das 14h caso o cliente “apresente melhoras no estado de saúde”. Segundo o advogado, Luisir estaria apresentando sinais de uma crise de depressão, além de estar “muito abalado”. 

Após ser esfaqueado no sábado (26), Everaldo chegou a ser transferido ao Hospital Universitário da UEPG, mas não resistiu e morreu ainda no sábado (26). Já Kiko foi o parlamentar mais votado na cidade em 2016. Na época filiado ao PMDB, hoje MDB, Kiko conquistou 786 votos, 8,95% dos votos válidos do município - ele chegou presidir o Legislativo entre 2013 e 2015, no mandato anterior. 

Sem flagrante

O empresário foi enterrado na manhã desta segunda-feira (27) com um clima de forte comoção na cidade. Após o crime, Kiko teria fugido do local e não foi localizado pela Polícia Militar. Por sua vez, a Polícia Civil já iniciou as diligências do inquérito policial instaurado no último dia 25 ouvindo testemunhas e colhendo informações sobre a relação da vítima com o principal suspeito.

PUBLICIDADE

Recomendados