Turma escolhe nome de seu Grupo no CAIC-PG

Vamos Ler

12 de março de 2020 15:50

Dhiego Tchmolo


Relacionadas

Turmas de Tibagi desenvolvem projeto ‘Fora Coronavírus’

Trabalho sobre cores tem 3ª etapa em Piraí do Sul

‘Jornal Anchieta’ trabalha aspectos comunicacionais

Escola desenvolve projeto sobre trabalho infantil
Turmas aprendem importância da adaptação escolar
Dinâmica mostra como higienização combate Covid-19
Sequência didática proporciona dinâmica à turmas
PUBLICIDADE

Prática comum nas classes da Escola Reitor Álvaro Augusto Cunha Rocha teve votação entre alunos para decidir o termo a ser utilizado em 2020. Confira qual foi o resultado

O Pré I B da Escola Reitor Álvaro Augusto Cunha Rocha, o CAIC de Ponta Grossa, pôde escolher o símbolo da classe – prática comum nas turmas da instituição de ensino ponta-grossense. Denominado ‘Grupo Cacto’, a professora Waldirene Cristina Ferreira Carvalho, que coordena os pequenos, conta como foi toda a dinâmica.

“Após a fase da adaptação, iniciamos o trabalho da escolha do símbolo do grupo. Tratando-se de crianças de três a quatro anos, para encaminhar essa atividade, foi preciso um trabalho de reconhecimento de símbolos presentes no contexto onde estão inseridos, associando-os ao que eles representam”, destaca a docente.

Imagens e ilustrações, que redundem em signos relacionados à escrita, foram utilizados para que os alunos pudessem tomar a decisão, segundo a professora. Dessa forma, foi solicitada às crianças que levassem várias gravuras para que, em sala de aula, pudessem escolher a que representaria seu grupo.

“Após a exploração de todas imagens trazidas, aos poucos foram selecionando mediante votação, a qual representaria o grupo. No final ficou ‘Cacto’. Sendo assim, iniciou o processo de pesquisa sobre esse símbolo que, além de representar o grupo, servirá de conexão para o ensino, aprendizagem, fazendo com que a criança aprenda a dar significado às várias cenas do dia-a-dia, ampliando assim o conhecimento de mundo”, complementa Waldirene.

Por fim, a professora solicitou a pesquisa sobre símbolos, o que trouxe a percepção aos estudantes de que no México existem cactos, além dos sombreiros, que também chamou a atenção dos pequenos. “Na sequência das atividades, puderam experimentar o chapéu”, conclui a professora.

Confira as produções na íntegra do CAIC de Ponta Grossa no blog escolar da instituição de ensino. Clique aqui.

PUBLICIDADE

Recomendados

IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização