Indústria deverá puxar a retomada da economia de PG

Ponta Grossa

13 de agosto de 2020 19:33

Fernando Rogala


Relacionadas

PM detém comerciante com fios de cobres furtados

Empresa anuncia novo investimento em Ponta Grossa

Herbário da UEPG soma 22 mil espécimes catalogadas

Queima de fogos misteriosa intriga moradores de PG
Choque apreende mais de 33 quilos de maconha em PG
Centro e Jardim Carvalho ficam sem água nesta terça
Empresa em contabilidade eleitoral traz novidades para PG
Leonardo Puppi Bernardi, primeiro secretário do CDEPG, reforçou a importância dos empresários responderem o questionário Foto: Arquivo JM
PUBLICIDADE

Terceira fase de estudo balizará a criação de relatório com políticas públicas para a retomada da economia na cidade


"Já saímos do final do poço. Acredito que, agora, o grande desafio seja antecipar essa retomada”. A frase é do empresário Leonardo Puppi Bernardi, primeiro secretário do Conselho de Desenvolvimento Econômico de Ponta Grossa (CDEPG) e diretor de Tecnologia e Inovação da Acipg, que participou de uma live, na tarde desta quinta-feira (13), no Portal aRede. Na oportunidade, ele destacou a importância da adesão dos empresários à terceira fase do estudo dos impactos das medidas de contenção da Covid-19 nos setores produtivos de Ponta Grossa, realizado pela UEPG, em parceria com o CDEPG, e também falou sobre o plano de retomada econômica para a região no momento de pós-pandemia, que será traçado conforme os resultados apontados pela pesquisa.

De acordo com Leonardo, uma semana antes de a pesquisa ser lançada, o Conselho recebeu, na reunião plenária, o vice-governador, Darci Piana; Valdemar Jorge, secretario de projetos estruturantes; e Guto Silva, Chefe da Casa Civil do Governo do Estado, para que eles apresentassem o plano de recuperação do governo do estado. Na ocasião, foram apresentados os 19 eixos de atuação. “Destes, aqui em Ponta Grossa escolhemos apenas cinco vetores, cinco eixos, que são os mais ligados às nossas vocações de nosso parque fabril e tecnológico. Os escolhidos, tecnicamente, foram atração de investimento, qualificação de pessoas, expansão de exportação, inovação e encadeamento produtivo”, resumiu. “Então é essa pesquisa que vai diagnosticar como estamos atualmente nesses campos para dar continuidade na metodologia”, acrescentou.

A partir dos resultados, haverá a estruturação do plano de ação. “Planejamento das próximas fases dependem do diagnostico que vai sair da pesquisa. Não sabemos de onde desencadearão as ações, mas os acadêmicos [a partir dos resultados] irão nos guiar para onde iremos”, pontuou. Porém, questionado sobre o atual momento, Bernardi revelou que a retomada já está ocorrendo. “Naturalmente a economia vai se aquecer. Resta a nós trabalhar para antecipar isso e as pessoas voltem a ter oportunidades de emprego. Principalmente”, comentou. 

Sobre os setores que irão puxar essa retomada, Bernardi aponta que é o grande polo industrial da cidade que irá sustentar esse desenvolvimento. “A metodologia tende a puxar indústria, porque a indústria puxa a produção agrovila, que puxam os serviços e geram emprego. Renda é a palavra, que está ligada a emprego e empreendedorismo. E são as duas vertentes que a metodologia se propõe”, destacou. Para Bernardi, quanto antes houver a retomada, melhor será para a economia. “Se anteciparmos em dois meses, com certeza o Natal vai ser melhor para as famílias. Para que as pessoas voltem a consumir e investir nos negócios, girar a economia e tornar ela próspera novamente, é um sentimento de prosperidade que faz o consumidor gastar agora”, conclui.


Prazo para participar do Estudo termina na terça-feira (18)

A meta da pesquisa é ouvir, pelo menos, mil empresários de Ponta Grossa, de todas as áreas, seja do âmbito industrial, do comércio ou do setor de serviços. Essa quantidade é almejada pela margem de erro ser minimizada, ficando em 3 pontos percentuais, informou Bernardi. A importância é grande, pois, como ele ressaltou, esse mapeamento dos impactos servirá para embasar um relatório com políticas públicas municipais e propor medidas imediatas para a retomada da economia local no pós-pandemia. Segundo Bernardi, leva cerca de dez minutos, de forma concentrada, para que o empresário responda. “Mas é uma causa nobre”, frisou. O questionário pode ser respondido até as 23h59 da próxima terça-feira, dia 18 de agosto através do link: https://bit.ly/3anqiWF. Mais informações no site cdepg.org.br


PUBLICIDADE

Recomendados