Exportações de PG se aproximam de R$ 1 bi em 2020

Ponta Grossa

07 de abril de 2020 19:49

Fernando Rogala


Relacionadas

Educação de PG entrega 300 toneladas de alimentos

“Ponta-grossenses estão dando lição para o mundo”, diz Rangel

Diocese normatiza volta das missas presenciais em PG

Homem é morto com quatro tiros na Vila Santo Antônio
Polícia prende homem que abusava da enteada
Carro capota após batida em cruzamento na Nova Rússia
Vinicius lamenta decisão da Câmara sobre organizações sociais
Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Somente no mês de março, valor comercializado em produtos para outros países superou a marca de R$ 500 milhões 


As exportações de produtos originários de Ponta Grossa se aproximaram da marca de R$ 1 bilhão no primeiro trimestre. Os números da balança comercial, revelados pelo Ministério da Economia, apontam que entre janeiro e março as empresas instaladas na cidade enviaram US$ 190,1 milhões em produtos a outros países (ou R$ 987,9 milhões, com o dólar convertido a R$ 5,196 no último dia de março). Embora somente em março o valor tenha quase dobrado em relação a fevereiro, de R$ 263 milhões para R$ 513 milhões, o total do trimestre ainda está 38% abaixo do acumulado no período em 2019 (R$ 1,6 bilhão). Na comparação com março de 2019 (R$ 735 milhões), houve baixa de 30%.

O produto mais exportado no período foi a soja. Não exatamente ela ‘in natura’ (em grão), mas os resíduos resultantes da extração do óleo de soja. Somente esse produto foi responsável por 47% das exportações, ou seja, algo perto de R$ 470 milhões. A soja em grãos foi o terceiro produto mais exportado (11% do total; pouco mais de R$ 100 milhões) e o óleo de soja foi o quarto mais enviado ao exterior, com 9% do total, ou seja, R$ 93 milhões. O segundo produto mais comercializado foi embalagens do tipo Tetra Pak.

Em âmbito estadual, Ponta Grossa se destacou na quinta colocação de exportações, assim como nesta mesma posição entre as importações. No ranking nacional, aparece na 54ª posição entre os municípios maiores exportadores e na 72ª entre as cidades importadoras do Brasil. Ao analisar a quantidade de produtos enviados, foram 447,4 mil toneladas no acumulado do ano, montante que é 38,7% menor que os 730,3 mil toneladas comercializadas no mesmo período em 2019.

O país que é o principal parceiro comercial, o que mais adquiriu produtos de Ponta Grossa, foi a Coreia do Sul, para onde foram 13% das exportações (cerca de R$ 125 milhões). Logo depois apareceu a França, na Europa, para onde foram 11% dos produtos, e somente na terceira colocação aparece a China, historicamente o maior parceiro comercial da cidade, país que começa a se recuperar da crise do coronavírus. Para a China, foram R$ 83 milhões em produtos, valor 51,8% inferior ao acumulado no mesmo período no ano anterior.


Superavit da balança comercial atinge R$ 365 milhões

Da mesma forma que as exportações caíram, as importações também apresentaram uma redução. Somados os valores dos três primeiros meses, são R$ 622,8 milhões em produtos adquiridos de outros países, valor 1% do registrado no mesmo período no ano passado. Com isso, a balança comercial de Ponta Grossa manteve um saldo positivo, porém o superavit é menor do que o registrado no primeiro trimestre de 2019. Se descontar as exportações das importações, é possível notar que o superavit atingiu R$ 365,1 milhões. No Brasil, foram US$ 50,5 bilhões de exportações e US$ 36 bilhões de importações. Com isso, a balança comercial brasileira registrou um superavit recorde para o trimestre, de US$ 14,4 bilhões.

PUBLICIDADE

Recomendados

IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização