Oferta aRedeShopping
Em PG, CimSaúde passa atender gestantes de alto risco

Ponta Grossa

02 de abril de 2020 10:02

Da Redação


Relacionadas

Ex-vereador de PG perde o irmão em acidente

Rodonorte projeta obras e milhares de empregos

Lei poderá travar desenvolvimento do aeroporto de PG

Zampieri defende candidatura de direita e equipe técnica
PG possui 151 Pontos de Entrega Voluntária (PEVs)
Top Brownies se destaca em Ponta Grossa e região
PG passa dos 100 casos positivos do coronavírus
Ambulatório do CimSaúde assume demanda do HU-UEPG nos próximos dias Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

HU-UEPG é referência na região para esse tipo de atendimento, mas aumento na demanda para avaliação de casos de coronavírus impede manutenção do atendimento

O ambulatório de Ponta Grossa do Consórcio Intermunicipal de Saúde dos Campos Gerais (CimSaúde) deve iniciar nas próximas semanas o atendimento de gestantes de alto risco dos municípios que compõe a 3ª Regional de Saúde. Por conta da pandemia do coronavírus, o Hospital Regional Universitário suspendeu este atendimento. “Para não deixar as gestantes desassistidas, o Consórcio irá absorver este atendimento”, explica o presidente do CimSaúde, prefeito de Palmeira, Edir Havrechacki.

O Hospital Regional hoje é a referência no atendimento das gestantes de alto risco na 3ª Regional, mas não está conseguindo manter o atendimento devido ao número de casos diários que recebe para avaliação do coronavírus.

“Estamos estudando a possibilidade e queremos iniciar este atendimento o mais rápido possível, pois as gestantes já tiveram suas consultas canceladas”, aponta a diretora do CimSaude, Pâmella Costa. Atualmente, o ambulatório de Ponta Grossa do Consórcio estava servindo de referência para gestantes de risco intermediário do município, contando com 16 vagas semanais. Já o ambulatório de Telêmaco Borba, que atende os municípios da 21ª Regional de Saúde, já atuava com gestantes de médio e alto risco. “Neste momento estamos fazendo um remanejamento do atendimento para conseguir atender o máximo de pacientes”, explica Pâmela.

Em Telêmaco Borba hoje há 80 vagas para as gestantes de alto risco. “Devemos ficar com 50 semanais em Telêmaco, e 36 em Ponta Grossa, inicialmente”, conta a diretora, destacando que estes números podem ser revistos caso a demanda seja outra. Conforme a diretora, neste período, a diminuição de vagas em Telêmaco Borba não deve ser um problema, já que no último mês, muitas gestantes deixaram de ir nos atendimentos, pela recomendação do isolamento social.

Para o atendimento das gestantes de alto risco e Rede Materno Infantil, o CimSaúde segue utilizando recursos repassados via convênio com Governo do Estado, o Comsus, que é o programa de apoio aos Consórcios Intermunicipais de Saúde. Já para os exames que podem ser solicitados, conforme prevê a Linha Guia, que é o protocolo orientador do pré-natal no Estado, poderão ser custeados com recurso da FPO do CimSaúde, recurso esse a ser utilizado pelos municípios e com distribuição per capta no total de R$ 237 mil.

Redes de Atenção à Saúde

O número de consultas da Rede Mãe não é a única afetada no período de pandemia do Coronavírus. Os atendimentos das Redes do Idoso, MACC (de atenção às doenças crônicas), Pediatria e de Saúde Mental já haviam sido suspensas por meio da Portaria 007/2020 do Consórcio. "Estas Redes são amplamente afetadas pelas restrições de circulação", explica o texto da Portaria. Ainda há a questão que estes grupos de pacientes das Redes, fazem parte do maior risco do contágio do Coronavírus.

O remanejamento nos atendimentos da saúde deve permanecer enquanto dure o período da pandemia. "A princípio estamos esperando um prazo de quatro meses, mas não há previsão exata", explica Pâmela.

Informações assessoria de imprensa.

PUBLICIDADE

Recomendados