Oferta aRedeShopping
Em PG, família nega morte de autônomo por quarentena

Ponta Grossa

27 de março de 2020 17:10

Afonso Verner


Relacionadas

Ex-vereador de PG perde o irmão em acidente

Rodonorte projeta obras e milhares de empregos

Lei poderá travar desenvolvimento do aeroporto de PG

Zampieri defende candidatura de direita e equipe técnica
PG possui 151 Pontos de Entrega Voluntária (PEVs)
Top Brownies se destaca em Ponta Grossa e região
PG passa dos 100 casos positivos do coronavírus
Joel era autônomo e enfrentava a depressão, segundo os familiares Foto: Redes Sociais
PUBLICIDADE

Filha de Joel Silvestrini usou as redes sociais para repudiar o fato do nome do pai estar sendo relacionados a informações falsas

Caroline Silvestrini usou as redes sociais para negar que a morte do pai, Joel Silvestrini, tenha sido consequência da quarentena imposta ao comécio em Ponta Grossa. Joel foi encontrado morto nesta quarta-feira (25) em casa, no Santa Paula - a morte do autônomo foi prontamente relacionada à quarentena imposta ao comércio. No entanto, a filha e a família de Joel negaram a informação: o vendedor de caldo de cana sofria com a depressão. 

“Não queria postar isso, o que menos quero é isso nesse momento de dor ter que ficar dando explicações sobre o que aconteceu, mas não aguento mais receber mensagens de especulações sobre o motivo da morte do meu pai”, escreveu Caroline nas redes sociais. “Ele foi vítima de uma depressão grave que o levou a fazer o que fez e não por motivo da quarentena e de não poder sair trabalhar”, disse. 

“Ele [Joel] vendia caldo de cana sim, mas isso foi antes. Ele já havia vendido a Kombi a um mês pois estava se tratando em casa da depressão a qual o levou a fazer o que fez”, escreveu a filha de Joel. “Peço encarecidamente que todos me ajudem com a verdade, pois está me machucando muito as especulações em saber a verdade, mexendo com a reputação do meu Pai”, pediu a jovem. 

Mesmo em um momento difícil, a família de Joel tem tido que enfrentar as consequências de informações falsas que circulam nas redes sociais. “Estou sendo obrigada nesse momento a dar explicações e falar pra que pare tudo isso e todo esse fake news com nome do meu pai... quero respeito nesse momento!”, pediu a jovem.

PUBLICIDADE

Recomendados