Aliel comemora criação do ‘Renda Mínima’ em Brasília

Ponta Grossa

26 de março de 2020 18:55

Afonso Verner


Relacionadas

Carro capota após atingir meio-fio e gradil em Uvaranas

Câmara de PG retorna com as sessões presenciais

Marcelo Rangel confecciona máscara caseira

Motorista perde o controle e bate contra caçamba de entulho
Rudolf Polaco e Dr Zeca confirmam filiação ao PSL
Secretaria de Saúde confirma novo caso de Covid em PG
Magistrados têm regra específica para prazo de filiação partidária
Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Projeto discutido na Câmara Federal prevê renda mínima para trabalhadores informais. Cada trabalhador terá direito a receber R$ 500 por três meses

O deputado federal Aliel Machado (PSB) comemorou a aprovação do projeto que garante recursos para trabalhadores brasileiros (informais ou não) que ficarem sem renda durante a crise causada pela Covid-19. Apelidado de ‘Renda Mínima’, o projeto deve garantir uma ajuda de R$ 500 aos trabalhadores (dois por família) durante pelo menos três meses. 

“Esse projeto de renda mínima é muito importante e vai se aplicar mesmo aquelas famílias em que há recebimento dos benefícios do Bolsa Família”, comemorou Aliel. O deputado destacou que essa é uma medida importante tomada pelo Legislativo em um momento de crise. “Precisamos agir tanto na saúde como também na economia para proteger e ajudar aqueles que mais vulneráveis”, destacou Aliel. 

Pouco antes, Aliel havia usado as redes sociais para comentar as votações “esvaziadas” na Câmara Federal. “Uma solidão necessária, mas o trabalho não para. Continuamos agindo com o nosso gabinete de crise, propondo e apoiando ações contra o avanço do novo coronavírus. Que Deus nos abençoe”, escreveu no Instagram. 

Rodrigo Maia destaca importância

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), também afirmou que o projeto tem objetivo de dar previsibilidade para as famílias que mais serão impactadas com a crise econômica provocada pela pandemia do coronavírus. 

“Precisamos garantir recursos, o que entendemos é que a proposta do governo é pequena para aquilo que a população precisa. Eu entendo o governo, que ainda trabalha com a questão do impacto fiscal, mas, neste momento, não é o mais importante. O importante é que todos nós, em conjunto, possamos gerar as condições mínimas para que os brasileiros possam manter a determinação do Ministério da Saúde, da OMS, dos estados e das prefeituras (de ficar em isolamento)”, explicou Maia.

PUBLICIDADE

Recomendados

IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização