Vereador corta matagal e caso gera polêmica em Uvaranas

Ponta Grossa

09 de março de 2020 14:33

Afonso Verner


Relacionadas

Conselho da UEPG mantém calendários suspensos

Preço da gasolina cai 17% em PG e chega a R$ 3,50

Lojas de PG irão abrir as portas nesta sexta-feira

Moradores da Vila Velha recebem cestas básicas
Grupo de jovens de PG produz máscaras de proteção
ACIPG oferece treinamentos emergenciais durante pandemia
Vereadores cantam e dançam na Câmara de PG
PUBLICIDADE

Liderança fez paródia do parlamentar e o acusa de agressão. Por sua fez, João Florenal (Podemos) afirma que houve apenas bate-boca

O vereador João Florenal (PODEMOS), primeiro secretário da Câmara Municipal de Ponta Grossa (CMPG), decidiu cortar o mato que cobria um ponto de ônibus na rua Euzébio de Queiroz, em Uvaranas - bairro em que o parlamentar mora, atua e também é dono de um comércio. No entanto, Samuel Vieira, liderança comunitária, decidiu gravar uma paródia questionando a atuação de Florenal (clique no player e veja as duas versões do vídeo) e a gravação acabou terminando em bate-boca entre os dois. 

Segundo Florenal, o ponto de ônibus sofre com o mato que vem de um terreno particular há anos. “Eu moro perto, a população vinha me cobrando. Falei com o secretário [de Serviços Públicos] mas acabou não sendo feito. Eu fui lá e eu mesmo fiz e pronto. Tinha um cidadão que estava passando pelo local, fez um vídeo e jogou nas redes sociais”, diz Florenal sobre o vídeo original. 

Por sua vez, o vereador afirma que os mesmos moradores que vinham cobrando soluções, relataram que na tarde deste domingo (8) um homem, no caso Samuel, estaria fazendo um “teatro no local”. Florenal afirmou que estava na AABB, local que fica próximo à cena do vídeo, e decidiu ir até lá para ver o que estava acontecendo. A partir daqui, há divergências entre as versões de Florenal e Samuel sobre o caso. 

Florenal diz que foi até o local e foi recebido a gritos. “Não teve briga, a gente apenas se xingou”, disse o vereador. “Agarrei na fechadura do carro e pedi para ele [Samuel] sair pra fora, pra gente conversar, mas ele saiu de lá arrancando, com tudo”, destacou o vereador. “Eu estou nas vilas todos os dias, um dia depois da eleição eu estava limpando colégios onde os eleitores tinham jogado santinhos meus”, diz o vereador.

Já Samuel tem uma outra versão sobre a confusão. Em um vídeo publicado nas redes sociais, Vieira garante que foi agredido e ameaçado. “Fui com a minha equipe gravar um vídeo, quando a gente estava quase indo embora o Florenal chegou, revoltado. Ele deu soco no vidro do carro, chamou minha esposa de vagabunda e me ameaçou de morte”, disse a liderança comunitária no vídeo. 

Segundo Samuel, um boletim de ocorrência foi registrado sobre o caso. Florenal destacou que não houve agressão, apenas bate-boca. “Esse rapaz [Samuel] é problemático”, disse o parlamentar. “Eu vou deixar a Justiça cuidar disso”, destacou Samuel.

PUBLICIDADE

Recomendados

IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização