Morte a pauladas foi provocada por briga entre irmãos

Ponta Grossa

21 de fevereiro de 2020 10:17

Da Redação


Relacionadas

Exportações de PG se aproximam de R$ 1 bi em 2020

'Superlua Rosa' deslumbra ponta-grossenses

Aliel quer isenção de pedágio para remédios, alimentos e combustíveis

Aeroporto Sant’Ana e Ambev doam álcool para instituições
Rangel pode tornar uso de máscaras obrigatório em PG
Paróquias usam da criatividade para oferecer confissões
Comando da PM afasta policiais com sintomas de gripe
Irmãos discutiram na noite de quinta-feira e um deles foi morto a pauladas pelo outro Foto: Márcio Lopes/aRede
PUBLICIDADE

Ao contrário do que foi divulgado anteriormente, confusão entre familiares que terminou com morte de homem a pauladas envolveu irmãos

Foram revelados mais detalhes sobre o homicídio registrado na noite desta quinta-feira (20) na rua José Kalinoski, no bairro Contorno, em Ponta Grossa. Ao contrário do que tinha sido divulgado pelas autoridades, relatando que um homem tinha sido morto a pauladas pelo cunhado, o caso na verdade envolveu dois irmãos. A informação foi repassada ao portal aRede por uma testemunha do crime.

O relato dessa pessoa, que pediu para não ser identificada, indica que a esposa do suspeito procurou ajuda num estabelecimento comercial da região. Ela pediu o celular emprestado para ligar para a polícia. “Ela dizia que o marido dela tinha matado o ‘Rael’ a pauladas, não quisemos nos envolver por medo, mas ligamos para a polícia para eles virem aqui resolver isso”, disse o comerciante. “Eles eram irmãos e o que morreu veio pra cá pra visitar a família”, completa.

Ainda conforme o comerciante, o autor do crime teria inclusive ligado para equipes de socorristas informando que tinha agredido o irmão. “Ele nem tentou fugir, ficou lá sentado esperando a viatura e foi preso”, conta.

Até a publicação desta matéria, a identidade de vítima e suspeito não tinham sido confirmadas pelas autoridades. O corpo do homem de 32 anos que foi identificado como ‘Rael’ pela esposa do suspeito foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Ponta Grossa. O caso segue sob investigação da Polícia Civil e não foram divulgadas informações sobre motivação.

PUBLICIDADE

Recomendados

IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização