Em PG, júri condena homem que matou empresário por cerveja e cigarro

Ponta Grossa

19 de fevereiro de 2020 18:03

Da Redação


Relacionadas

Após polêmica, comerciantes do Paraguaizinho emitem nota oficial

Voluntários da UEPG criam novo modelo de protetor facial

Exportações de PG se aproximam de R$ 1 bi em 2020

'Superlua Rosa' deslumbra os ponta-grossenses
Aliel quer isenção de pedágio para remédios, alimentos e combustíveis
Aeroporto Sant’Ana e Ambev doam álcool para instituições
Rangel pode tornar uso de máscaras obrigatório em PG
Júri foi realizado no Fórum de Ponta Grossa Foto: Arquivo JM
PUBLICIDADE

Crime aconteceu em janeiro de 2019 e a vítima foi morta na frente da filha

O Tribunal do Júri de Ponta Grossa condenou a 17 anos, 10 meses e 15 dias de reclusão, em regime fechado, homem acusado de homicídio duplamente qualificado. O júri foi realizado nesta terça-feira (17) no Fórum da cidade (foto).

O crime ocorreu no dia 17 de janeiro de 2019. Segundo a denúncia apresentada pelo Ministério Público do Paraná (MPPR), de posse de arma de fogo, o réu fez vários disparos contra um comerciante que teria se recusado a vender cerveja e cigarros ‘fiados’. Os fatos foram presenciados pela filha da vítima, que chegou a ser socorrida, mas não resistiu.

O MPPR sustentou no julgamento a tese de homicídio qualificado por motivo fútil e por ter ocorrido mediante recurso que dificultou a defesa da vítima, o que foi acolhido pelos jurados. Todos os pedidos apresentados pela 10ª Promotoria de Justiça de Ponta Grossa foram acolhidos pelo Conselho de Sentença.

A assessoria do Ministério Público não divulgou o nome do homem condenado.

PUBLICIDADE

Recomendados

IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização