Stocco propõe "drink emergência" para proteger mulheres de abuso

Ponta Grossa

19 de fevereiro de 2020 17:58

Da Redação


Relacionadas

'Superlua Rosa' deslumbra ponta-grossenses

Aliel quer isenção de pedágio para remédios, alimentos e combustíveis

Aeroporto Sant’Ana e Ambev doam álcool para instituições

Rangel pode tornar uso de máscaras obrigatório em PG
Paróquias usam da criatividade para oferecer confissões
Comando da PM afasta policiais com sintomas de gripe
UEPG oferta curso online gratuito visando o bem-estar social
Foto: Kauter Prado / CMPG
PUBLICIDADE

Vereador quer implementar medida para proteger mulheres vítimas de abuso ou assédio sexual em casas noturnas e baladas

O vereador Geraldo Stocco (REDE) apresentou o projeto de lei (PL) 14/2020 na Câmara Municipal de Ponta Grossa (CMPG). A proposta, fundamentada em leis e projetos apresentados em outros municípios do Paraná, prevê a implementação de uma espécie de “drink emergência” nas casas noturnas da cidade. Na prática, o drink seria usado para proteger mulheres de casos de abuso e assédio sexual.

O tema da proposta de Stocco já é lei em Curitiba e está sendo discutida no Legislativo Municipal de Londrina. O projeto prevê que casas noturnas e baladas de Ponta Grossa incluam no seu cardápio um drink ‘fictício’ - ao pedir esse drink, a mulher estaria denunciando um caso de assédio sexual ou mesmo abuso. O texto prevê que os funcionários do estabelecimento sejam treinados para compreender a denúncia feita através do pedido do drink. 

Além disso, o texto sugerido por Stocco prevê que as casas noturnas e baladas tenham cartazes dos banheiros femininos trazendo o nome do “drink emergência” e também conscientizando a mulher sobre a iniciativa e seu funcionamento. “A nossa proposta é que a equipe do bar esteja preparada para prestar o atendimento, socorrer a mulher e até mesmo acompanhá-la até o carro para evitar que algo aconteça”, disse Stocco.

Segundo o vereador, a proposta prevê ainda que os funcionários do estabelecimento possam chamar um motorista de aplicativo para levar a vítima até em casa e mesmo acionar a Polícia Militar. “Vemos os casos de abuso sexual crescendo e a nossa ideia é diminuir esse tipo de crime dando uma ferramenta para as mulheres se protegerem”, conta Stocco.

O projeto do vereador ainda tramitará nas comissões internas da Casa de Leis antes de ser votado em plenário.

As informações são da assessoria. 

PUBLICIDADE

Recomendados

IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização