Stocco propõe fim do uso de canudos plásticos a partir de 2021

Ponta Grossa

24 de janeiro de 2020 15:30

Da Redação


Relacionadas

Registros de violência contra a mulher caem em PG

Rangel brinca com comentário na live de Marília Mendonça

Advogado de PG divulga e-book para detalhar a MP 936

Advogadas comentam liminar que dá poder aos sindicatos
PG registra três roubos a comércio em um dia
Sob efeito de drogas, mulher tenta suicídio pela 4ª vez
Briga de casal acaba com homem esfaqueado pela esposa
Foto: Imagem: Divulgação
PUBLICIDADE

Vereador da Rede Sustentabilidade vai reapresentar projeto que trata da extinção do uso de canudos de plástico

O vereador Geraldo Stocco (REDE) decidiu reapresentar o projeto de lei (PL) que prevê o fim do uso de canudos de plástico em Ponta Grossa. A medida foi apresentada pelo vereador em 2019, mas acabou sendo rejeitada no plenário do Legislativo. Como permite o regimento, Stocco quer reapresentar o projeto dando prazo de um ano para que os estabelecimentos comerciais se adequem a determinação, caso ela seja aprovada. 

Stocco argumenta que grandes cidades brasileiras já proibiram o uso de canudos plásticos, como é o caso de São Paulo e Fortaleza. “Nossa proposta é que o fim do uso dos canudos plásticos em restaurantes, bares, lanchonetes, trailers, food trucks, ambulantes e similares acontece no prazo de um ano da possível publicação da lei”, diz Stocco. O texto sugerido pelo vereador prevê que estabelecimentos comerciais utilizem métodos alternativos, como canudos biodegradáveis ou recicláveis.

De acordo com Geraldo, projetos semelhantes já foram aprovados nas principais capitais brasileiras, refletindo a preocupação atual da sociedade com o meio ambiente. “Podemos aproveitar e aprovar uma legislação progressista, que vai de encontro como nossos desafios. O mesmo aconteceu com a lei antifumo”, exemplifica o vereador citando a lei aprovada em 2009 na cidade. 

No novo ano legislativo, Stocco acredita que a Câmara tem uma nova oportunidade de discutir o assunto. “Em 2019, o projeto veio à plenário e acabou sendo rejeitado e direcionado ao arquivo. Acredito que neste ano, temos uma nova oportunidade de discutir esse tema tão importante, agora de maneira mais responsável e mais informada”, contou o vereador.

As informações são da assessoria. 

PUBLICIDADE

Recomendados

IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização