PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Crar trabalha com novas regras para devolução de equinos

Ponta Grossa

15 de dezembro de 2019 13:03

Da Redação


Relacionadas

PG testa novos itinerários no transporte

PG receberá R$ 60 milhões para novo residencial

Prefeitura realiza obras de acessibilidade e asfalto

Prefeitura promove obras de pavimentação no Tropeiros
Mercado da Família estará aberto na segunda (26)
Igreja Adventista do 7ª Dia distribui roupas para carentes
PG reabre cinemas e delivery funcionará 24h
Animais só poderão ser levados para propriedades distantes dos bairros Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Além da multa, taxa de coleta e cobrança de diária, Centro de Referência para Animais em Risco agora exige comprovante de propriedade rural

O Centro de Referência para Animais em Risco (Crar), ligado a Fundação Municipal de Saúde (FMS), passou a trabalhar com o código de saúde do Estado. O Centro já prevê multa, taxa de coleta e cobrança de diária para a devolução, ao proprietário, do animal de grande porte apreendido em via pública. A partir de agora, também é preciso comprovar propriedade rural.

Depois desta mudança, quem tiver cavalo em área urbana precisa garantir que ele permaneça devidamente cercado porque, uma vez recolhido ao Crar, só poderá ser retirado para transporte até propriedade distante dos bairros, a exemplo dos distritos Uvaia, Periquitos, Guaragi e Itaiacoca.

De acordo com relatórios do Crar, no último mês, os técnicos foram acionados para recolher 40 animais em via pública. “Em Ponta Grossa, o problema de cavalos nas ruas é mais frequente do que deveria ser. Nossas equipes estão recolhendo entre 5 e 10 cavalos por semana. Esses animais soltos podem causar transtornos à população e até mesmo acidentes. É necessário ter consciência e cuidado por parte dos proprietários, pois os próprios equinos são prejudicados”, explica o médico veterinário, Leandro Inglês.

Ao ser recolhido, o proprietário tem até 48 horas para retirar o animal do Crar, pagando pela taxa de coleta e pela diária de permanência, se for o caso. “Após decorridas 48 horas, os equinos são doados para pessoas previamente cadastradas, que manifestaram prévio interesse em ter animais como esses e possuem instalações adequadas para sua permanência. A pessoa que adota um animal não paga nenhuma taxa, a não ser o caminhão particular contratado para transportar o equino ao novo lar", destaca Leandro.

Sobre o CRAR

O Centro foi inaugurado em 2016, com investimentos de R$ 630 mil em reforma e ampliação da estrutura para receber cães, gatos e equinos. O CRAR ainda conta com dois veículos adaptados, um para recolhimentos dos animais de grande porte. Todos os animais acolhidos e tratados pelo Centro podem ser adotados, pois o abrigo é temporário.

Informações assessoria de imprensa.

PUBLICIDADE

Recomendados