Oferta aRedeShopping
Audiência pública discutirá tarifa zero no transporte de PG

Ponta Grossa

17 de outubro de 2019 18:04

Da Redação


Relacionadas

‘Made in PG’ irá valorizar produtos fabricados na cidade

‘Drive-thru solidário’ arrecada comida para animais de rua

Oficinas terá abastecimento de água interrompido nesta quinta

Tetra Pak doa R$ 2 milhões para dois hospitais
PG tem 62,5% dos casos recuperados do coronavírus
Decreto amplia horário de abertura do comércio em PG
Bombeiros evitam morte em viaduto de PG. Veja imagens
Foto: Imagem: Arquivo JM
PUBLICIDADE

Ponta Grossa pode ser a 3ª cidade do PR com Tarifa Zero no Transporte Público. Acipg quer mais informações sobre o tema 

No próximo dia 5 de novembro, a partir das 19 horas, uma Audiência Pública na Câmara Municipal de Ponta Grossa (CMPG) vai debater sobre a tarifa zero no transporte coletivo. A iniciativa é do vereador Felipe Passos (PSDB), que apresentou um projeto de lei que pretende mudar radicalmente o sistema de cobrança do transporte coletivo da cidade.

A proposta é que não haja mais cobrança de tarifa dos passageiros. Em vez de fornecer vale-transporte para seus funcionários, a empresa paga mensalmente uma espécie de “tributo” diretamente para um fundo administrado pela Prefeitura.

Esse valor seria utilizado para custear todo o funcionamento do sistema de transporte público. O valor desse repasse seria baseado no número de trabalhadores empregados, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED). Estes dados seriam cruzados com os da Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

O vereador acredita que o projeto pode mudar a maneira com que vários setores se relacionam ao sistema de transporte público. “Com o sistema funcionando nos moldes adequados, há previsão de reduzir de até 25% a circulação de veículos nas vias da cidade. Isso significaria a melhoria no fluxo de trânsito e na circulação de pedestres”, projeta o vereador, que fala também em atender um antigo anseio da população. “Finalmente podemos falar seriamente na instituição do Passe Livre, mas não só para os estudantes”.

"Convido toda a população para que entendamos que não é mágica, não existe o almoço grátis, mas sim organização e quebra de estruturas que geram mal utilização do dinheiro público", finaliza Felipe. A medida está na mira da Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (ACIPG).

Para o presidente da ACIPG, Douglas Taques Fonseca, a Diretoria  da instituição necessita de mais dados para poder se manifestar sobre o projeto. No entanto, afirma que atualmente cerca de 70% da receita do transporte coletivo é oriunda dos empresários, em virtude do vale-transporte, de forma que a mudança não deva onerar ainda mais os setores produtivos. 

“O empresariado já tem um custo alto com o vale-transporte e este gasto não pode subir por causa deste projeto de lei. Não podemos sacrificar as empresas para prestigiar somente o usuário. Temos que ver se esta conta fecha, sem acréscimo no valor para quem pagará pelo serviço. Em virtude disso, precisamos de uma explicação de quem propôs o projeto”, finaliza Fonseca.

Acipg quer discutir o projeto

A reunião da Diretoria da Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (ACIPG) desta segunda-feira (14)  havia sido reservada para receber o vereador Felipe Passos, que alegou não estar bem de saúde. A intenção era discutir o projeto de lei de autoria do parlamentar, que visa instituir a tarifa zero no transporte coletivo, e que direcionará toda a despesa para os empresários do município, que terá um custo por colaborador, mesmo que este não utilize do sistema.

Com informações da assessoria de imprensa. 

PUBLICIDADE

Recomendados