Espetáculo educacional resgata cultura circense

Mix

03 de julho de 2020 22:00

Da Redação


Relacionadas

Os Desafios dos museus em tempos de Pandemia

Vestidos: Elegância e estilo para todas as ocasiões

Gigaleak: o controverso vazamento da Nintendo

Nova versão de 'Mulan' será lançada diretamente no Disney+
Crônicas dos Campos Gerais: ‘O menino que vi’
Pizzaria Halley lança promoção em pizzas e calzones
Criador do Festival de Teatro estará no Aula Show
PUBLICIDADE

Além de democratizar o acesso à cultura, projeto também pretende mostrar o caráter inclusivo da arte com a qual todos podem interagir

Com humor sadio, conteúdo educacional, esquetes cômicas e performances artísticas do mundo circense, "O palhaço, a bailarina e a alegria de estudar" é um espetáculo que busca motivar as crianças a estudarem, respeitarem seus colegas, terem disciplina e vontade de serem melhores para si e para a comunidade onde vivem, descobrindo que cada um é muito importante e todos juntos são melhores ainda. Os atores interagem com a plateia do início ao fim, tornando o público protagonista desta divertida peça na qual as crianças descobrem através da ludicidade e inocência razões para se sentirem motivados a ir para a escola. 

Geovana de Abreu Salgueiro é diretora artística de espetáculos cênico-teatrais-circenses em Ponta Grossa há cinco anos. O projeto cultural foi aprovado pela Lei de Incentivo à Cultura do Governo Federal no mês de maio de 2020 e é um grande marco para a cultura da cidade. “Depois que a pandemia passar, pretendemos levar 15 apresentações do espetáculo em escolas públicas nas áreas periféricas de seis municípios litorâneos do Paraná. Um show educacional, lúdico e surpreendente, interligando arte, cultura e educação para combater o bullying e o preconceito nas escolas” diz Geovana.

Além de democratizar o acesso à cultura, o projeto pretende também mostrar o caráter inclusivo da arte com a qual todos podem interagir. É importante mostrar a importância do circo e suas atividades como parte relevante da cultura corporal e social. Atualmente o circo apresenta grande valor sociocultural, pois traz consigo muito mais do que sorrisos e aplausos, possibilita também a criação, expressão corporal, imaginação, motivação, desenvolvimento físico, melhoria da autoestima e da qualidade de vida, favorecendo a formação pessoal, a integração social e o reconhecimento de grandes potencialidades desenvolvidas dentro destas atividades.

Para que o projeto efetivamente seja executado na prática, é essencial que empresas paranaenses que acreditem no poder da educação através da arte, contribuam com o projeto através da destinação de impostos que seriam pagos ao governo, repassando estes valores através da Lei de Incentivo à Cultura (antiga Lei Rouanet) para projetos culturais como este. “Para mim como diretora artística é um grande reconhecimento na profissão. Idealizo este projeto há anos! Como diz o ditado, ‘a felicidade está onde o coração encontra repouso’, relembra Geovana. “Eu mudei de área profissional da quase advocacia para direção artística de espetáculos cênicos circenses, e desde então sou feliz”, complementa.

A mudança foi um sucesso e Geovana já atuou como diretora artística em projetos culturais premiados pela Secretaria de Estado da Cultura do Paraná, como os espetáculos "No trânsito não se brinca"  (Viradinha Cultural), "O mundo mágico do Palhaço Picolé" (Prêmio Arte Paraná 2017 e Domingo tem Teatro 2018), "Picolé Show: A Hora do Riso" (Prêmio Arte Paraná 2018) e também foi coordenadora de produção e diretora artística no projeto "O mundo especial de Picolé", vencedor do 4° Edital de Projetos Culturais da CCR Rodonorte, com apoio do Ministério da Cidadania e Governo Federal.

PUBLICIDADE

Recomendados