Organizadores da Olimpíada avaliam possível adiamento

Esporte

23 de março de 2020 20:00

Agência Brasil


Relacionadas

Góes revela que 'CBF pediu que os estaduais terminem'

COI anuncia novas datas para Olimpíada e Paralimpíada

Grupo de torcedores entrega marmitas para caminhoneiros

Clubes decidem dar férias de 20 dias aos jogadores
Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio são adiados
Clubes abrem as portas para ajudar na luta contra a covid-19
Organizadores da Olimpíada avaliam possível adiamento
Yoshiro Mori afirma que cancelamento "está fora de cogitação" Foto: Reprodução/Agência Brasil
PUBLICIDADE

Yoshiro Mori afirma que cancelamento "está fora de cogitação"

Após o Comitê Olímpico Internacional (COI) admitir o adiamento da Olimpíada e da Paralimpíada de Tóquio (Japão) em razão da pandemia do novo coronavírus (covid-19), o Comitê Organizador local se pronunciou em entrevista coletiva nesta segunda-feira (23). Embora também reconheçam a possibilidade de postergar as competições, os dirigentes argumentam que há dificuldades que impedem garantir a mudança de data.

"Ainda não decidimos pelo adiamento, mas não podemos desconsiderar isso como uma opção realística. Não sou tolo de achar que os Jogos ocorrerão da maneira como planejamos inicialmente. Os Estados Unidos, a Europa e novas áreas estão sob situações extremas agora (com o novo coronavírus). Entendemos isso e ouvimos muitas opiniões, de muitos países", afirmou o presidente de Tóquio 2020, Yoshiro Mori.

"Trabalhamos por seis anos para as Olimpíadas começarem em 24 de julho, então, esse trabalho terá que ser refeito. Fizemos muitos contratos que estão prontos. Revisá-los não é uma tarefa fácil", disse o chefe executivo do Comitê, Yoshiro Mori, que garantiu que o cancelamento dos eventos está fora de cogitação.

O discurso é alinhado ao do presidente do COI, Thomas Bach. No domingo (22), o dirigente publicou uma carta reconhecendo o risco global da pandemia e explicando as dificuldades para encontrar uma nova data e realizar os eventos. A entidade pretende tomar uma decisão sobre os Jogos em, no máximo, quatro semanas. O Comitê Paralímpico Internacional (IPC, sigla em inglês) manifestou apoio à posição do COI.

Na esteira das manifestações sobre o comunicado dos comitês Olímpico e Organizador, o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, também reconheceu a possibilidade de os eventos serem remarcados. "Se a decisão do COI significa que é impossível manter a Olimpíada em uma forma completa, talvez seja necessário decidir adiá-la", declarou.

PUBLICIDADE

Recomendados

IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização