PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Paraná garante R$ 120 milhões para reforçar segurança pública

Cotidiano

15 de maio de 2021 10:40

Agência Estadual de Notícias


Relacionadas

Isenção previdenciária a militares será votada na Alep

Junho Vermelho busca aumentar doação de sangue

Detran-PR e Rumo orientam motoristas sobre ferrovias

Famílias de baixa renda são mais afetadas por inflação
Paraná é o segundo Estado que mais vacinou professores
Polícia Científica coleta DNA de familiares de desaparecidos
“A família acabou”: Pai, mãe e filho morrem de covid em 1 mês
Recursos devem ser usados para projetos, obras e aquisição de armas e equipamentos Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Recursos devem ser usados para projetos, obras e aquisição de armas e equipamentos

O Paraná deve receber nos próximos anos mais R$ 120 milhões do governo federal para serem aplicados nas principais necessidades de segurança pública e policiamento. O investimento foi costurado pelo secretário de Segurança Pública, Romulo Marinho Soares, que esteve nesta semana em Brasília (DF). Os recursos devem ser usados para projetos e obras, entre elas a construção de uma penitenciária de segurança média no Norte Pioneiro, e aquisição de armas e equipamentos. 

O secretário participou de uma reunião técnica com a diretora-geral do Departamento Penitenciário Nacional, Tânia Fogaça. Um dos assuntos tratados foi o investimento de cerca de R$ 48 milhões para a construção de uma nova penitenciária em algum município perto da divisa com São Paulo, o que possibilitará a melhoria no fluxo dos trabalhos do Departamento Penitenciário do Paraná. É o maior investimento desse pacote.

“O Paraná recebeu essa missão de implantar uma unidade de segurança média. Verificamos as tratativas de contratos, recursos, acerto de demandas e trâmites para que a Secretaria da Segurança Pública possa acelerar os atos normativos para iniciar em breve o processo de licitação”, explicou o secretário.

A expectativa é que o lançamento do edital de construção ocorra no segundo semestre. Segundo o secretário, também haverá ampliação da rede de esgoto da região para atender a nova unidade. “Estamos trabalhando para que o Paraná obtenha esse investimento o mais rápido possível e, assim, implementar mais uma estrutura de segurança pública”, disse.

Um dos repasses, de R$ 32 milhões, será usado para aplicação no programa de atenção psicossocial Prumos e auxílio no enfrentamento do crime organizado. A tratativa de compra de novas pistolas para as polícias do Paraná também avançou, com aporte de R$ 31,5 milhões.

Outros R$ 11,3 milhões serão usados para aquisição de fardamento aos policiais, como coletes balísticos, capacetes e outros tipos de equipamentos, e R$ 16 milhões atualizarão a comunicação interna diária com a aquisição de rádios digitais, garantindo mais segurança na transmissão de informações sigilosas do campo operacional das forças de segurança na fronteira.


Brasília

O secretário também esteve na Secretaria de Operações Integradas (SEOPI), vinculada ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, para fortalecer a parceria e intensificar as operações em conjunto de combate ao crime organizado, principalmente na região de fronteira. 

Marinho ainda se reuniu com integrantes das forças de segurança do Paraná mobilizadas em Brasília. Participaram da reunião profissionais da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros, da Polícia Civil, da Polícia Científica e do Depen.


ESA 

As tratativas sobre a instalação da Escola de Sargentos de Armas (ESA) do Exército Brasileiro no Paraná também pautaram a agenda. O secretário foi recebido pelo Comandante da Força Terrestre, general Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, no Quartel-General em Brasília. 

A implantação da ESA vai beneficiar a economia local e o desenvolvimento do Estado. Atualmente estão na disputa Ponta Grossa (PR), Recife (PE) e Santa Maria (RS). “Todos vão sair ganhando. O Paraná pode receber R$ 1,2 bilhão em investimento. Se a escola for para Ponta Grossa, o município terá um desenvolvimento gigantesco nos próximos anos”, destacou Marinho. 

PUBLICIDADE

Recomendados