PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

EUA se juntarão à Covax, que distribui vacinas a países pobres

Cotidiano

21 de janeiro de 2021 11:00

Agência Brasil


Relacionadas

Ajufe e IMM realizam quase 5 mil cursos para detentos

Governo barra recursos da cultura em cidades restritas

Manifestantes bloqueiam pistas contra preço dos combustíveis

Projeto aumenta penas para crime de violência doméstica
RodoNorte e Vara da Infância e Juventude ampliam parceria
PDT pedirá na Justiça a interdição de Jair Bolsonaro
Entenda as mudanças da PEC Emergencial
Os primeiros lotes de vacinas para países pobres devem ser entregues pela Covax em fevereiro, disseram autoridades da OMS nesta semana. Foto: Reprodução/Fotos Públicas
PUBLICIDADE

Informação é do infectologista Anthony Fauci, conselheiro de Biden 

Os Estados Unidos (EUA), sob o governo do presidente Joe Biden, pretendem se juntar à iniciativa Covax que busca entregar vacinas contra covid-19 a países pobres, disse o principal conselheiro médico de Biden, Anthony Fauci, à Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta quinta-feira (21). Fauci é imunologista e chefe do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas. dos EUA.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, saudou o anúncio feito ao conselho executivo da entidade: "Esse é um bom dia para a OMS e um bom dia para a saúde global".

Falando de Washington por videoconferência, um dia depois da posse de Biden, Fauci afirmou que "o presidente Biden vai divulgar hoje uma diretriz que incluirá a intenção dos Estados Unidos de se juntar à Covax e apoiar o ACT-acelerador, a fim de avançar nos esforços multilaterais para a distribuição de vacinas, terapias e diagnósticos para a covid-19, além de acesso equitativo, pesquisa e desenvolvimento".

Os primeiros lotes de vacinas para países pobres devem ser entregues pela Covax em fevereiro, disseram autoridades da OMS nesta semana, apesar de manifestarem preocupações com o fato de que os países ricos estão ficando com a esmagadora parcela das doses disponíveis. A Covax é gerenciada pela OMS com a aliança para vacinas Gavi.

Os EUA permanecerão como membros da OMS e "cumprirão suas obrigações financeiras", disse Fauci, acrescentando que o país trabalhará com mais 193 membros para reformar a entidade.

O antecessor de Biden, Donald Trump, suspendeu o financiamento para a Organização Mundial da Saúde, que tem nos EUA seu principal doador, e anunciou o processo de retirada do país do órgão.

"A OMS é uma família de nações e estamos todos felizes que os EUA permaneçam na família", disse o presidente da OMS, Tedros Adhanom.

PUBLICIDADE

Recomendados