Novo surto da covid na China indica mutação do vírus

Cotidiano

20 de maio de 2020 10:19

Da Redação


Relacionadas

PR confirma 832 novos casos e 20 óbitos pela Covid-19

Regionais de Saúde devem ampliar vacinação nas cidades

Paciente que furou quarentena no PR é multado em R$ 15 mil

Campo Tupi chega a 2 bilhões de barris de óleo
Mercado financeiro aumenta projeção da inflação
Demanda das empresas por crédito caiu em agosto
Médico pioneiro no tratamento da Aids no Brasil morre no Rio
Cientistas ainda avaliam se sinais diferentes em novo surto se devem à mutação ou fatores externos Foto: Reprodução
PUBLICIDADE

Sintomas de novo surto de contágio por coronavírus no país asiático são diferentes do original, que ocorreu em Wuhan

Médicos e cientistas chineses tentam identificar uma possível mutação no coronavírus devido a um novo surto registrado no nordeste do país asiático. Os especialistas notaram que o vírus tem se manifestado de forma diferente do que já tinha sido registrado em Wuhan, área do primeiro surto. Com base no que foi levantado até agora, a principal suspeita é de que o patógeno esteja passando por mutações de formas desconhecidas.

Em entrevista ao canal da TV estatal, o médico Qiu Haibo (um dos principais da China) disse que pacientes de duas províncias (Heilongjiang e Jilin) aparentam portar o vírus por um período maior do que se tinha registro, e os testes demoram mais tempo para aparecerem negativos.

O especialista também disse que os contaminados nessas regiões também manifestaram os sintomas depois de duas semanas, tempo médio observado em Wuhan. O atraso dificulta o trabalho das autoridades em saúde para tentar evitar o contágio. Nos últimos 15 dias, foram registrados 46 novos casos em duas províncias, o que levou os governos locais a adotarem o isolamento social numa região com mais de 100 milhões de pessoas.

Apesar dos indícios, os cientistas ainda não conseguiram identificar se de fato o vírus teve alguma mutação ou se as diferentes observações se devem à fase em que os pacientes estão observados – em Wuhan, as análises começaram apenas depois que o surto foi identificado.

Com informações do UOL e Bloomberg.

PUBLICIDADE

Recomendados