Dono do Madero diz que mortes não podem parar o país

Cotidiano

24 de março de 2020 08:21

Da Redação


Relacionadas

Rede Madero demite mais de 600 funcionários

Senado aprova auxílio de R$ 600 a mais de 30 categorias

Mulher é esfaqueada dentro de casa pelo marido em Curitiba

Bolsonaro sanciona MP da renda básica emergencial
Araucária tem primeiro caso confirmado de coronavírus
Jovem que caminhava no acostamento morre atropelado
Dólar fecha a R$ 5,26 e volta a bater recorde nominal
PUBLICIDADE

Junior Durski criticou o fechamento do comércio na maior parte do país e disse que os efeitos serão piores após o ‘lockdown’

O empresário curitibano Júnior Dorski, dono da rede de restaurantes Madero, gravou um vídeo afirmando que o Brasil não pode parar por causa do coronavírus. Segundo ele, a situação será muito pior se o país parar com o ele chama de “lockdown”. “Vamos chorar cada uma dessas pessoas que morrerem com o coronavírus. Mas não podemos (parar) por conta de 5 mil ou 7 mil pessoas”, disse ele, citando uma previsão de mortes pela covid-19.

 “O Brasil não pode parar dessa maneira, o Brasil não aguenta. Tem que ter trabalho, as pessoas têm que produzir, têm que trabalhar”, disse ele, em um vídeo em seu perfil no Instagram. “As consequências que vamos ter no futuro vão ser muito maiores que as pessoas que vão morrer agora com o coronavírus”.

“Vamos chorar cada uma dessas pessoas que morrerem com o coronavírus. Vamos cuidar dos idosos, é nossa obrigação. Mas não podemos (parar) por conta de 5 mil ou 7 mil pessoas”, afirmou o empresário. “Eu sei que é muito grave. Mas muito mais grave é o que o acontece no Brasil. Em 2018, morreram mais de 57 mil pessoas assassinadas. Mais de 6 mil por desnutrição”.

Com informações do Bem Paraná.

PUBLICIDADE

Recomendados

IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização