Presidente do STJ autoriza divulgação do resultado do Sisu

Cotidiano

28 de janeiro de 2020 17:22

Da Redação


Relacionadas

Inscrições para bolsas do ProUni terminam quarta-feira

Caixa paga hoje auxílio emergencial do ciclo 2

Paraná é uma das rotas do tráfico de animais silvestres

Comércio do Paraná cresce pelo terceiro mês consecutivo
Foz do Iguaçu retoma voos para seis destinos
Confiança da indústria atinge maior nível desde 2013
Casa Verde e Amarela é aposta para reaquecer mercado
Os resultados, porém, ainda não estão liberados para consulta no site do Sisu. Foto: Ailton de Freitas / Agência O Globo
PUBLICIDADE

A decisão foi tomada no julgamento de um recurso da Advocacia Geral da União (AGU)

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha, deferiu nesta terça-feira liminar autorizando a publicação do resultado do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). A decisão foi tomada no julgamento de um recurso da Advocacia Geral da União (AGU) contra a decisão que suspendeu a divulgação dos resultados. Os resultados, porém, ainda não estão liberados para consulta no site do Sisu.

Antes da decisão do STJ, o governo tinha amargado uma série de derrotas judiciais. No domingo, a presidente do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3), desembargadora Therezinha Cazerta, negou pedido da AGU para derrubar decisão da Justiça de São Paulo.

Na prática, isso significa que os resultados não podiam ser divulgados nesta terça-feira, data previamente estimada pelo governo. Agora, a situação foi revertida.

As inscrições para o Sisu se encerraram no domingo às 23h59. A suspensão do resultado tinha sido pedida pela Defensoria Pública da União (DPU), que pode recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF). A decisão da Justiça de São Paulo determinava ainda que o governo comprovasse que o erro na correção das provas do Enem 2019 tinha sido totalmente solucionado

Na semana passada, o presidente do Inep, Alexandre Lopes, disse que os erros, que afetaram 5.974 estudantes, já tinham sido corrigidos. Eles representam 0,15% dos 3,9 milhões de inscritos que fizeram as provas em 3 e 10 de novembro. Uma falha já admitida pela gráfica Valid fez com que essas provas fossem associadas a gabaritos trocados. 

PUBLICIDADE

Recomendados