Paróquia de Irati abrigará relíquia de São João Paulo II

Campos Gerais

13 de agosto de 2020 16:00

Da Redação


Relacionadas

Diocese de Ponta Grossa ganha relíquias de São João Paulo II

Polícia Civil encontra foragidos da Justiça em Piraí do Sul

Palmeira registra terceiro óbito por Covid-19

Homem leva facada no peito e fica em estado grave
PM recupera dez celulares furtados em loja de Arapoti
Construção civil enfrenta escassez de matéria-prima
Em Carambeí, Patrícia Kremer ainda aguarda definições
Serão duas relíquias que chegarão no próximo mês na Diocese de Ponta Grossa. Além de Irati, o município de Castro também deve receber. Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Relíquia de primeiro grau do santo é um presente para a comunidade católica de Irati, em especial a polonesa

A fé e a devoção religiosa são consideradas de grande expressão em Irati. E um fato histórico para a comunidade católica, em especial para a etnia polonesa, está para acontecer no município. Em setembro, a Paróquia São Miguel receberá uma relíquia em primeiro grau do Papa, que hoje é santo da Igreja Católica, João Paulo II. Trata-se de uma parte do corpo do santo que ficará exposta na Igreja Matriz para veneração dos fiéis.

Serão duas relíquias que chegarão no próximo mês na Diocese de Ponta Grossa. Além de Irati, o município de Castro também deve receber. O pároco da Paróquia São Miguel, padre Luiz Mirkoski, conta como se deu os trâmites para essa conquista.

“Um resultado que veio de uma proposta do padre Cristiano, que teve sua experiência pastoral aqui na São Miguel, e através de um contato que eu também tive com o diácono Tiago, na época seminarista da Congregação dos religiosos de Nossa Senhora de Sion, que possui casas de formação tanto na Polônia como em Israel. Ele (Tiago) tem contato com o Santuário de São João Paulo II na Polônia, onde há as relíquias para serem distribuídas com toda a prudência e os cuidados”, comenta.

De acordo com o padre, as relíquias do santo são destinadas a lugares que possuem devoção e grande relevância da tradição polonesa. Em Irati, a Paróquia São Miguel possui forte presença da etnia, com celebrações e atividades religiosas na língua estrangeira, fator que foi importante para vinda da relíquia.

“Temos uma hora de oração em polonês todo mês, cultiva-se a missa das línguas, na festa de Pentecostes, o coral polonês. Além disso, temos o quadro de Nossa Senhora de Monte Claro, que foi um presente do papa para Irati. Esses e outros fatores contribuíram para a vinda para cá, a qual foi aceita pelo nosso bispo dom Sergio”, conta o padre.

Solenidade de Acolhida

29 de setembro, dia do padroeiro, foi a data escolhida para a solenidade oficial de acolhida da relíquia. A Paróquia está preparando uma programação especial, que consiste em uma carreata, santa missa campal e visitação nas comunidades do território paroquial.

No dia 22 de outubro, data da celebração da festa de São Joao Paulo II, a relíquia será colocada oficialmente na Igreja Matriz. “Vamos fixar debaixo do quadro de Nossa Senhora de Czestochowa, onde a estrutura será chumbada e protegida por alarme, câmeras, e isolamento, sendo disponibilizada para visitação pública, onde ficará permanentemente na Matriz São Miguel”, conta padre Luis.

Vida e Fé

Emocionado, o sacerdote também relata que possui forte ligação com a vida religiosa do santo. “Eu me emociono porque foi justamente pelo testemunho de João Paulo II que eu me tornei padre. Através de uma missa em 1980 que ele celebrou aqui no Brasil, ao assistir pela televisão eu fui chamado para a vida sacerdotal, aos oito anos de idade. Sempre seguindo sua espiritualidade, tendo ele como exemplo e agora sendo pároco na minha Paróquia de origem, podendo acolher essa relíquia como se fosse o próprio. Com o coração cheio de gratidão de reconhecer a presença de Deus na vida. Para mim é uma confirmação vocacional e de uma devoção do povo de Irati”, finaliza.

Histórico

João Paulo II teve o terceiro maior pontificado, que iniciou em 16 de outubro de 1978 e só terminou em 02 de abril de 2005 com sua morte, permanecendo 26 anos como soberano da Cidade do Vaticano. Esteve quatro vezes no Brasil onde visitou várias cidades e reuniu multidões. Após confirmações de milagres por sua intercessão, foi canonizado santo em 2014, pelo Papa Francisco.


Fonte: Portal Clique/Irati

PUBLICIDADE

Recomendados